press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/8

"Ruído destaca os adereços, aquilo de mais comum - e, alguns dirão, desnecessário - por negar matéria à forma.”

Ruído foi uma instalação site specific produzida para ser instalada na entrada do edifício da Caixa Cultural em São Paulo durante o tempo de duração da exposição Apagamentos em 2016. A obra era formada por 8 moldes negativos das colunas de metal do saguão de entrada do prédio do centro cultural, produzidas de madeira, juta e gesso. 

O monumento cheio de lacunas é uma reunião de moldes tirados pelo artista do detalhamento arquitetônico da área que recebe a obra. O trabalho, desta maneira, reverbera a sala que o hospeda e relaciona os adereços da sala com a dura arquitetura do prédio quase secular da Caixa Cultural na Sé. Junto à obra Ruído, colocada no hall, encontramos uma narrativa a se perceber por seus detalhes. Uma quase canção a se desenrolar no espaço branco do papel arranhado, Ruído destaca os adereços, aquilo de mais comum – e, alguns dirão, desnecessário – por negar matéria à forma. Esta síntese esbranquiçada, disposta quase à porta do prédio, pede pelo pensamento. O monumento, criado através do decalque das peças ao redor, destaca a distância entre um projeto e uma construção. Uma música cuja cifra não pode ser lida, uma história que perdeu seu sentido para os viventes. A candura do monumento é também a explicitação de seu material e, mais que isso, a cor branca é parte do léxico criado pelo artista. O gesso que reveste o prédio, depois de encarada esta peça, revela finalmente a distância entre a assepsia de um projeto e as entranhas de uma edificação.

 - english -

 

"Noise highlights the props, which is the most common - and, some will say, unnecessary - for denying matter to form."

Ruído was a site-specific installation produced to be installed at the entrance of the Caixa Cultural building in São Paulo during the duration of the exhibition Apagamentos in 2016. The work consisted of 8 negative molds of the metal columns in the entrance hall of the building. cultural center, produced from wood, jute and plaster.

The monument full of gaps is a meeting of molds taken by the artist of the architectural detailing of the area that receives the work. The work, in this way, reverberates the room that hosts it and relates the room's props to the harsh architecture of the almost secular building of Caixa Cultural in Sé. . A quasi-song unfolding in the white space of the scratched paper, Ruído highlights the props, the most common thing – and, some will say, unnecessary – for denying matter to form. This whitish synthesis, placed almost at the door of the building, calls for thought. The monument, created by tracing the surrounding pieces, highlights the distance between a project and a construction. A song whose cipher cannot be read, a story that has lost its meaning for the living. The candor of the monument is also the explanation of its material and, more than that, the white color is part of the lexicon created by the artist. The plaster that covers the building, after facing this piece, finally reveals the distance between the asepsis of a project and the entrails of a building.